Lançamento do livro: “Confusões de Dona Ana x Confusões de Seu José”

Olá pessoal!

A Editora Gaivota me enviou um convite super especial que quero compartilhar com vocês! O lançamento do livro Confusões de Dona Ana x Confusões de Seu José!
O evento começa as 15h, na Livraria da Vila – Fradique.

Leve seu pimpolho =)

Convite Lançamento_Confusões de Dona Ana

Abaixo seguem informações sobre o livro.

Sobre o livro: Dona Ana é uma mulher muito acelerada e sempre faz duas coisas por vez. Mas um dia se cansou dessa vida agitada e decidiu visitar o mágico da cidade. Depois de muita fumaça, virou uma pessoa mais tranquila – e também bastante atrapalhada. Com Seu José, as coisas também acontecem de um jeito peculiar. Faz suas compras semanais no supermercado, mas não gosta de economizar. Na hora de pagar a conta, tira o dinheiro da careca ou da sola do pé. Vai à academia, mas odeia se exercitar. As histórias acabam por se cruzar quando os dois se esbarram na farmácia e não conseguem mais se largar.
Nessa história divertida e nada convencional, os personagens passeiam por cenários coloridos, cheios de movimento, expressões, cores e sabores. Permite trabalhar temas como: cotidiano, convivência social, diferenças e a chegada do amor.
As ilustrações contribuem para a atmosfera alegre do livro, destacando as formas e cores de cada elemento.

Sobre a autora: Lidia Izecson é pedagoga e mestre em educação. Trabalhou nas secretarias municipal e estadual de educação de São Paulo e possui grande experiência em capacitação de educadores e incentivo à leitura. Entre muitas outras obras, publicou em 2004 o título Cadê meu avô?, pela Editora Biruta. E em 2006, recebeu o prêmio Jabuti de melhor obra paradidática com o Almanaque: Cortes e Recortes da Terra Paulista. Faz parte do grupo Beco de Escritores.

Sobre a ilustradora: Mariana Ruiz Johnson nasceu em Buenos Aires, Argentina, em uma família dedicada ao mundo dos livros. Estudou Artes Plásticas, com foco em ilustrações de títulos infantis. Já publicou obras como autora e ilustradora em diversos países. E recebeu, em 2013, pelo livro Mamá, o Prêmio Compostela al Álbum Ilustrado (prêmio internacional da cidade de Santiago de Compostela, Espanha).

Anúncios

Mudanças no ensino médio para 2016

Olá gente!

Essa semana os sites de notícia lançaram as boas novas para o ensino médio do estado de São Paulo. O governo quer fazer algumas mudanças na grade curricular que, não vou negar, me deixam preocupada.

A noticia pode ser lida aqui.

Resumidamente, a notícia diz que no próximo ano a rede estadual de São Paulo irá testar um novo modelo de currículo escolar. A ideia é transformar a maior parte do curso em disciplinas optativas, onde os estudantes podem escolher o que vão estudar.

A mudança ocorrerá nos 2.º e 3.º anos, onde o estudante montará sua grade. No 1.º ano continua o currículo fechado, como já é hoje. O secretário da Educação de São Paulo, Herman Voorwald, fala da motivação para essa mudança pensando no protagonismo do aluno e aí eu gostaria de fazer uma observação.

Bem, ele diz em seu depoimento para a reportagem “Se ele odeia Matemática, pode optar por Artes, Idiomas”, ok, e será que meu aluno que odeia matemática está pronto, preparado, aos 15 anos para decidir se é bom ou não para sua vida ter as aulas de matemática?

Digo isso porque não vejo nossos alunos de escola pública realmente preparados para fazer esse tipo de escolha com consciência. Não escolher uma disciplina tão importante como a Matemática só porque ele odeia (ou tem preguiça de resolver os cálculos) não pode trazer dificuldades quando ele for fazer o ENEM e os vestibulares?

Se o ENEM é baseado em um currículo que contempla as disciplinas que temos hoje na grade, faz sentido dizer para meu aluno que ele pode optar por não cursá-las?

A minha preocupação é que nossos alunos não são hoje preparados para fazer esse tipo de escolha, é necessário fazer grandes mudanças na educação, tornar as aulas atrativas para que ai sim meu aluno tenha autonomia para escolher o que ele acha que é melhor para sua formação ou não, mas com o atual cenário da educação em São Paulo fica complicado. Como a aula de química vai ser interessante se não tenho laboratório na escola, não temos equipamentos para experiências, a sala está com mais de 40 alunos e o ventilador está quebrado? Desculpe, mas não da vontade nem de existir dentro de uma sala dessas, quanto mais estudar química.

A escola tem sido chata para o jovem? Sim! É claro! Mas a culpa é também do estado, que não oferece ambientes adequados para que possamos sair da rotina giz e lousa(minha escola não tem laboratório e a biblioteca está fechada por falta de funcionário), não oferece equipamentos que funcionem (a sala de informática eu nunca vi funcionar), deixa as salas superlotadas (as salas de ensino médio tem em média 40… 42 alunos), professores desvalorizados, com salários baixos e sem formação contínua. Agora, alguém vê a possibilidade de formar alunos autônomos em um ambiente assim? 2 ou 3 conseguem, mas a grande maioria vai passar por essa etapa sem conseguir compreender a importância de cada disciplina para sua formação. Como então irão escolher?

Temos muitos alunos lá na escola desmotivados, que já estão envolvidos com drogas e com o crime. Será que esse aluno está interessado em montar uma grade curricular interessante para estudar? Será que ele tem condições? Será que fará as melhores escolhas?

Eu não acho que a ideia seja ruim, mas com o cenário que temos hoje na educação eu não julgo viável uma mudança desse tipo. Aquele aluno que não gosta de estudar fará escolhas com mais aulas práticas, diferenciadas como música, educação física, arte e deixará de aprender conteúdos importantes de outras disciplinas, que com certeza farão falta mais adiante.

A única escola de tempo integral que conheço está vazia, os alunos do ensino médio não querem passar o dia na escola. O governo fala que está dando certo, mas quem vive essa realidade está vendo que não é bem isso.

Ficaria muito feliz em ver meus alunos podendo escolher o que mais gostam, mas com consciência dessas escolhas, mas não vejo um aluno de 15 anos com maturidade suficiente para escolher o que é melhor para sua educação.

Aos 17/18 quando saem do ensino médio eles saem cheios de dúvidas de qual profissão seguir, do que fazer da vida, o que é melhor para eles, aos 15 não preciso nem comentar que as dúvidas serão muito maiores né?

Além de tudo isso o que me preocupa é o saldo de aulas. Se tenho 5 salas de 2º ano e só 2 delas escolhem cursar química, o professor que antes tinha um saldo de 10 aulas vai passar a ter somente 4, como faremos com tantos professores na rede?
Esse ano fiquei adida (sem aulas livres para atribuir) e nem tínhamos esse “problema” ainda. Como os governantes irão fazer para a conta de saldo de aulas bater com a quantidade de professores efetivos da rede?

Dúvidas… Dúvidas….

O jeito é aguardar por novidades sobre o assunto. Por ora, apenas observamos e vamos refletindo para apurar se essa é de fato uma decisão boa para todos nós.

E você, o que pensa sobre isso?

LIVROS EM PAUTA – CONGRESSO DE LITERATURA, QUADRINHOS, RPG E OUTRAS MÍDIAS NERDS

Em sua quinta edição, Livros em Pauta ampliou programação para contemplar também o universo das histórias em quadrinhos, games e jogos de RPG. Todas as atividades são gratuitas, abertas ao público e com censura livre.

Concebido como um encontro de profissionais e público ligados ao livro e à literatura, o Livros em Pauta – que realiza sua quinta edição no dia 30 de maio, em São Paulo – ampliou a programação para contemplar outras áreas de interesse: quadrinhos, cinema, séries de TV, RPG, games e outros produtos relacionados à cultura pop.

O consumidor de livros, ao longo dos anos, passou a apreciar outros tipos de mídias correlatas. Basicamente, essas pessoas consomem histórias, não importando em qual tipo de suporte elas se apresentam”, explica Edson Rossatto, editor da Andross Editora e organizador do evento.
As atividades, todas gratuitas, incluem palestras, bate-papos, workshops, encontro do Clube do Livro e mesas redondas sobre diferentes temas, como crítica literária, mangás, jornalismo turístico, direitos autorais, dublagem, adaptações para cinema e muitos outros.
Entre os nomes confirmados estão os jornalistas e escritores Gonçalo Jr. e Paulo Gustavo Pereira, o editor responsável pelas revistas em quadrinhos da Disney, Paulo Maffia, e o ator Felipe Folgosi, que recentemente teve seu projeto para a graphic novel Aurora financiado de forma coletiva.
O evento dispõe de uma área com mesas de editores e autores para o público adquirir livros, gibis e itens com temática nerd – camisetas, canecas e ímãs – a preços promocionais, e também uma sala reservada para os jogadores de RPG.

Lançamentos

 

Durante o Livros em Pauta, acontece o lançamento de oito antologias de contos literários publicadas pela Andross Editora. São elas: De Repente, Nós; Viagens de Papel; As Quatro Estações; Legado de Sangue; King Edgar Hotel; Imaginarium; Além das Cruzadas e Sede – Contos distópicos sobre um futuro sem água. Os autores estarão disponíveis para conversar com o público e distribuir autógrafos.

(Veja abaixo a entrevista do organizador do evento Livros em Pauta, Edson Rossatto)

PROGRAMAÇÃO

11:00 às 12:30

Palestrante: Altemar Domingos
Palestrante: Alfer Medeiros
Palestrante: Alice Reis
Palestrante: Átila Oliveira
Palestrante: Alan Uemura
Palestrante: Renato Modernell

13:00 às 14:30

Curadoria: Edson Rossatto
Curadoria: grupo Traçando Livros
Palestrante: José Carlos Júnior
Palestrante: Miragaia René Angelino
Palestrante: Lúcia Helena Bettini

15:00 às 17:00

Palestrante: Vinicius Cestari
Curadoria: Edson Rossatto
Palestrante: Gledson Zifssak
Debatedores: Cesar Patoulos, Natália Borges e Fernando Augusto Dias Afonso Mediador: Bruno Anselmi Matangrano
Debatedores: Denise Simonetto e Gonçalo Júnior Mediador: Maurício Muniz
Debatedores: Paulo Maffia, Rogerio Saladino e Ivan Barbieri Mediador: Marcelo Naranjo
Debatedores: Paulo Gustavo Pereira, Silvia Helena Penhalbel e Surya Bueno Mediador: Eduardo Marchiori

17:30 as 19:00

Palestrante: Alessandra Barros Marassi
Palestrante: Juliano Barbosa Alves
Debatedores: Felipe Folgosi, Luciana Masini e Filipe Larêdo Mediador: Wilson Simonetto
Debatedores: André Morelli e Clóvis Furlanetto Mediador: Alan Uemura
Debatedores: Marcello Simão Branco, Roberto de Sousa Causo e Paulo A. Zoppi Mediação: Luciano Marzocca

 

Durante o dia

Diversos jogos de RPG Público-alvo: qualquer um que queira jogar
SERVIÇO:Livros em Pauta – Congresso de Literatura, Quadrinhos, RPG e outras mídias nerds

Data: 30 de maio

Horário: 10h às 20h

Local: Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação – FAPCOM (Rua Major Maragliano, 191 – Vila Mariana – São Paulo – próximo à estação Vila Mariana do metrô)

Entrada gratuita – Censura livre

Todas as atividades são gratuitas; porém, as vagas são limitadas e preenchidas por ordem de chegada

Mais informações para a imprensa:
 
Edson Rossatto11 2943-7687

11 98217-6191

edson@andross.com.br
www.livrosempauta.com.br

 

Professores do Estado de SP em Greve!

Olá gente!

Eu, como professora apaixonada que sou, não poderia deixar de me expressar aqui nesse espaço que tanto amo. Eu estou em greve!
Sou apaixonada pelo que faço e por isso estou em greve.

Estou em greve porque o governo quer amontoar as crianças nas salas de aula como se elas fossem sacos de batata.
Estou em greve porque o governo cortou verbas da educação.
Estou em greve porque não recebemos aumento e ainda baixaram um decreto dizendo que não  o teremos.
Estou em greve porque 20 mil professores contratados foram mandados embora para que não se crie vinculo empregatício.
Estou em greve porque a duzentena é uma facada mortal no professor contratado.
Estou em greve porque as salas de aulas estão superlotadas, chegando a quase 50 alunos em algumas escolas.
Estou em greve porque quero trabalhar melhor e quero a implantação da lei do piso, com 20 aulas (em sala) por semana apenas e que o restante da jornada seja cumprido com meus parceiros, trocando informações, discutindo projetos, corrigindo provas e trabalhos para que eu não precise mais fazer isso nos meus dias de folga.
Estou em greve porque esse governo já nos maltratou demais e não podemos deixar que ele continue fazendo isso.

Estou em greve porque amo o que faço, luto por uma educação de qualidade e com condições dignas de trabalho.

Agradeço a atenção e agradeço mais ainda se você expor seu apoio aos professores da rede estadual nas redes sociais.

Obrigada!